VOCÊ PRATICA A ESCUTA ATIVA EM SEUS RELACIONAMENTOS?

Quantas vezes já escutamos o ditado popular

Temos duas orelhas e uma boca, para falar menos e escutar melhor.

https://www.metodoti.com/2019/08/voce-pratica-a-escuta-ativa

Se cumprirmos esse ditado ao pé da letra, com certeza seremos mais agradáveis e nossas relações serão mais fortalecidas.

Ouvir o que a outra pessoa está dizendo pode ser algo difícil.

Ficamos tão ocupados pensando sobre qual será nossa resposta, que interrompemos o falante ou deixamos nossa mente vagar, hipótese em que literalmente não ouvimos o que está sendo dito.

Ouvir envolve foco total.

Podemos pensar quatro vezes mais rápido do que uma pessoa normal consegue falar, portanto, existe uma tentação de deixar nossos pensamentos voarem.

Devemos treinar nossa mente, nos interessando genuinamente, deixando o próximo a vontade, reagindo a história contada através da linguagem verbal e sempre fazendo contato visual.

Devemos procurar ouvir na essência, suspendendo qualquer tipo de julgamento, evitando cair na tentação de julgar ou de tirar conclusões precipitadas.

Devemos adotar uma postura compreensiva de alguém que está disposto a ajudar e encontrar soluções, ideias para resolver qualquer tipo de dúvida ou problema que nosso semelhante possa ter.

Faça perguntas para se certificar e certificar a outra pessoa de que a mensagem foi realmente e verdadeiramente assimilada corretamente.

Para ter mais informações acerca do assunto, pratique a empatia.

Procure entender as necessidades, motivações, expectativas, valores dos que estão falando.

Não emita opiniões e conselhos antes de solicitar previamente a anuência da outra pessoa, uma vez que, em muitas situações, ela deseja apenas que você a escute.

Mostre como as informações foram interpretadas e assimiladas, procure fazer elogios.

https://f-utilidades.com/2018/01/18/o-poder-do-elogio/

Ao elogiar a pessoa com quem estamos conversando, as chances de melhorarmos nossos relacionamentos é extraordinariamente muito maior. 

Cuidado!!

Conseguimos perceber a falta de interesse daqueles que estão ao nosso redor.

Foque no discurso do falante e, ao mesmo tempo, transmita que está prestando atenção.

Devemos usar o corpo e o rosto para demonstrar interesse.

Devemos inclinar para frente, para os lados, sentarmo-nos na ponta da cadeira, sorrir, responder de todas as formas.

https://www.sbcoaching.com.br/blog/expressao-corporal/

Sem o feedback do ouvinte, o nosso ritmo corpóreo se torna caótico e nós adoecemos facilmente.

Se não reagimos ou respondemos, supomos que o ouvinte não está interessado e então passamos a desejar estar em outro lugar.

O feedback bem direcionado faz com que quem fala se sinta importante, que sua atenção está direcionada e que o que o ele está falando está tendo impacto.

Mantenha o contato visual, base de uma conexão fortalecedora.

Cuidado!!

Não olhe no relógio durante a conversa.

http://www.educacaopublica.rj.gov.br/cultura/artes/0016_02.html

Devemos evitar as distrações e interrupções durante o diálogo, como celular, e-mails, telefonemas, conversas paralelas, etc.

Ouvir atentamente permite uma comunicação aberta de duas vias. A troca de informações é facilitada ao se falar e ouvir atentamente.

Sejamos bons ouvintes e não seremos apenas vistos como afetuosos, mas também alcançaremos um melhor entendimento em nossas relações.

Se quisermos fazer com que as pessoas corram da gente, falemos incessantemente sobre nós mesmos, se tivermos uma ideia, enquanto o outro estiver falando, não espere que ele termine.

Se formos assim, seremos importuno intoxicados pelo próprio ego, ébrios com o sentimento de nossa própria importância.

O “homem que pensa somente em si”, “não é educado”, “não interessando o seu grau de instrução”.

Seja um bom ouvinte, incentive as pessoas a falarem sobre elas mesmas, pratique a escuta ativa.

A escuta ativa é um dos ingredientes mais importantes na comunicação e muitas vezes é o ponto mais fraco da interação.

Não existe escuta ativa quando dentro de um diálogo não há uma abertura para com o outro.

http://obviousmag.org/carpinteiros_do_universo/2019/um-pouco-de-empatia-por-favor.html

Algo pode ser diferente a sua própria opinião, no entanto, escutar de forma ativa significa atender com respeito à outra pessoa.

Um dos pontos mais importantes para promover a escuta ativa é não julgar o próximo, além de respeitar suas emoções, sentimentos e experiências.

A escuta ativa é uma das habilidades mais importantes da inteligência emocional e se conecta de forma direta com a empatia.

Em se tratando do ambiente de trabalho, o IBCCOACHING nos mostra 7 (sete) benefícios da escuta ativa no ambiente de trabalho.

  1.    Promove o relacionamento interpessoal: a escuta ativa desenvolve um ambiente fértil para que todos tenham relações saudáveis uns com os outros;
  2.     Minimiza os conflitos organizacionais: a partir do momento que todos passam a ouvir na essência o que o outro está dizendo, os conflitos diminuem consideravelmente;
  3.     Gera confiança: como eu disse mais acima, demonstrar interesse genuíno pelo o que o outro está dizendo, pela mensagem que ele quer passar, faz com que ele confie cada vez mais;
  4. Desenvolve a comunicação eficaz: através da escuta ativa os profissionais passam a se comunicar de forma mais eficaz, dialogando de forma clara, transparente e objetiva; Otimiza o tempo: como se tem uma comunicação eficaz no ambiente de trabalho, em que todos se entendem verdadeiramente, o tempo passa a ser mais bem aproveitado, pois há um aumento considerável da produtividade por parte de todos.
  5.   Promove o trabalho em equipe: todo e qualquer tipo de empresa precisa contar com profissionais unidos, para que se possibilite o alcance das metas e dos objetivos propostos, algo que a escuta ativa permite, já que abre espaço para um trabalho em equipe de excelência;
  6.    Aumenta a segurança: ao trabalharem em um ambiente onde a escuta ativa é realmente desenvolvida, as pessoas passam a se sentirem mais seguras, pois sabem que podem contar umas com as outras e resolver os problemas e conflitos através do diálogo;
  7.    Desenvolve a empatia: quando estamos diante de alguém que verdadeiramente entende o que se passa conosco, nos sentimos melhores, o que faz com que tudo flua da melhor maneira possível no ambiente de trabalho.

O fato assimilado e interpretado pelo ouvinte, através da concentração tenderá a estabelecer uma conexão verdadeira com aquele que fala.

Deixe uma resposta